Se avexe não

Passada a histeria de 12 de junho, a banda dos corações solitários que se apoquenta com a data respira dando sinais de calmaria. Se avexe não, aquele forró bom pra colar bochecha já dizia que amanhã pode acontecer tudo, inclusive nada. Xico Sá, em seus modos de macho e modinhas de fêmea, escreveu que a solidão não vende um picolé de coco, então está tudo assim, explicado pela movimentação do shopping center, mon ami. Nada de desatino no coraçãozinho só porque o mundo fica mais derramado (verdadeiramente ou não) por um dia e você não está participando da festa. Tem festas em que é melhor estar de fora mesmo, por artifício da vontade, ainda que convidado.

O mundo fica mesmo mais breguinha, sei que é duro fugir da publicidade barata. No restaurante em que almoço quase todos os dias, meritório pela trilha sonora e por me chamarem pelo nome, me espantei com o Roberto Carlos a toda no background. Foi um dos almoços mais rápidos do Velho Oeste, afora a pressa, bastou-me Detalhes em espanhol e uma versão em português logo após para sacar que um prolongamento acabaria em congestão. Ao final, cedi a um brigadeiro meio amargo enquanto outro cabeludo aparecia na sua rua.

Nada de reclamar sobre o que a vida deu para tirar depois, deixa de lamúria. A gente precisa é agradecer muito ao mistério do universo por nos salvar de umas ciladas difíceis de enxergar quando se tem miopia e permitir que se mantenha a ternura pós abalo sísmico. Conto um casinho que compartilhei com os corações solitários lamuriosos dessas bandas. Estava num show na praia no final de semana, bem pertinho, um casal possivelmente alemão curtindo o romance de um jeito bonitinho, como o frio e a contenção não tropical permitem. Em dado momento, ela quis dar uns passos para frente, ele não acompanhou. Ela cruzou os braços, ele não deu um passo. Estragaram pelo menos três músicas de Tom Jobim nesse avanço e recuo desencontrado, até o sujeito ceder e abraçar a moçoila. Intrometida que sou, fiquei feliz pelo reencontro, estava na torcida pelos desconhecidos. Mas o lado racional ficou pensando na preguiça dessas picuinhas amorosas tão bestas, Dio mio, que a gente sabe existir e morre de medo de em determinado momento bater a cabeça e vir a praticar. Porque, aqui entre nós, dar uns passos para frente ou ficar no mesmo lugar não deveria ser razão de sofrimento para nenhum vivente, certo? Então, acalme-se, você ainda não estragou nada de Jobim na sua vida e é absolutamente free para mover-se para o lado que quiser. E, amanhã, ainda pode acontecer tudo, inclusive nada.

 

Anúncios

2 comentários sobre “Se avexe não

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s